Diagnósticos, duração e curiosidades sobre a Gestação das cadelas…
28 de fevereiro de 2017
Doenças respiratórias em gatos
8 de março de 2017

Conheça melhor a Diabetes dos cães e gatos!

A Diabetes Mellitus (DM) é uma doença endócrina que pode acometer tanto os cães como os gatos, é caracterizada pela deficiência na produção ou na ação da insulina. A insulina tem o papel no organismo de regular a concentração de glicose (açúcar) no sangue, veja o esquema abaixo:

A glicose é transportada nas células de todo o corpo e absorvida pelo fígado, rins e células cerebrais.Ela atua na síntese de proteínas, carboidratos e gorduras se tornando essencial para o corpo dos animais. O pâncreas é responsável pela liberação de proinsulina, substancia que se transformará em insulina futuramente.
Para o diagnóstico da Diabetes Mellitus é importante a medição da glicemia com o animal em jejum, os valores de glicemia normais variam entre 7 a 110mg/dl, acima ou igual a 200mg/dl é considerado diabético. Além da medição de glicemia sanguínea, podemos realizar um exame de urina e detectar a presença de glicose, o que chamamos de glicosúria.

As fêmeas possuem maior probabilidade de adquirir a doença em relação aos machos, devido as ações hormonais do cio, o uso prolongado de corticóides também aumentam estas chances e animais idosos e obesos. Para os cães existe a Diabetes Mellitus Insulino Dependendo, causada pela destruição das células pancreáticas produtoras de insulina, e para os gatos existe a DMII causada pela deposição de amiloides (substância que impede a secreção ou ação da insulina). Tanto no gato quanto no cão os sinais apresentados são os mesmo, entre eles estão:
  • Sede intensa (Polidpsia)
  • Aumento na frequencia urinária (Poliúria)
  • Desidratação
  • Fome intensa, porém os animais sofrem emagrecimento
  • Infecções bacterianas são afecções secundárias e oportunistas
  • Catarata
  • Podem surgir doenças do sistema nervoso central (neuropatias) e doenças renais (nefropatias)
Gato apresentando catarata secundária a DM
O tratamento vai depender do estágio da doença, mas inclui-se insulinoterapia, ou seja, aplicação de insulina com constantes medições de glicemia, a frequência de aplicações e a dose será determinada pelo médico veterinário. Mudança na dieta é importante, podem ser dietas caseiras ou rações terapêuticas existentes no mercado, deve manter uma rotina de exercícios para estes animais e controle do peso, além da indicação da castração.

 

OBS: É IMPRESCINDÍVEL A VISITA AO MÉDICO VETERINÁRIO, NÃO MEDIQUE SEU ANIMAL SEM A ORIENTAÇÃO DE UM PROFISSIONAL.