Conheça melhor a Diabetes dos cães e gatos!
1 de março de 2017
Insuficiência Renal em cães e gatos
26 de março de 2017

Doenças respiratórias em gatos

Os felinos estão no topo de animais acometidos por doenças respiratórias, podendo ser causada por inúmeros micro-organismos presente no ambiente como as bactérias, vírus ou ambos e é facilmente transmitida, assim como uma gripe.
A maioria dos animais acometidos vivem em abrigos, gaiolas ou em locais onde há aglomeração de muitos animais, não existe predileção por sexo, raça ou idade, ou seja, todos os felinos estão suscetíveis a contrair estas doenças. Os vírus e bactérias mais comuns são: Herpesvírus felino tipo 1 (FHV-1) conhecido como rinotraqueíte, Calicivírus felino (FVC), bordetella bronchiseptica, chlamydophila spp. e mycoplasma spp, retrovírus felino como FIV (vírus da imunodeficiência felina) e FeLV (vírus da leucemia felina). Sendo que o Herpesvírus e o Calicivírus representam cerca de 80% a 90% dessas doenças apresentadas pelos gatos.
Transmissão
Estes vírus e bactérias podem ser transmitidos através  da tosse, ao compartilhar vasilhas de comida e água e de um animal para outro pelo contato direto. Uma vez infectado podem permanecer com a doença a vida toda, alguns apresentam os sinais quando a imunidade cai enquanto outros podem nunca apresentar sinais aparentes, estes então tem o papel de transmissores, animais aparentemente saudáveis, porém repassam esses agentes para outros animais e ambientes.
Sintomas
Espirros

Secreção purulenta (presença de pus) nos olhos e nariz

Tosse
Diminuição do apetite
Apatia (desanimado ou triste)
         
Geralmente estas infecções duram em média de 7 a 21 dias e existe o período de incubação da doença mais ou menos de 2 a 10 dias, sendo este o período maior de contágio.
Diagnóstico
Os sinais são facilmente detectados pelo médico veterinário e pelo tutor, porém existem testes para descobrir o tipo de vírus ou bactéria presente no organismo como o teste de  FIV e FeLV, podem ser feitas também culturas de amostras das secreções ou a observação da amostra no microscópio. Além disso a radiografia para avaliar as condições pulmonares e dos seios nasais.
Tratamento
O tratamento vai depender do grau da infecção, se ela for mais leve é importante aumentar a umidade do ambiente onde o animal vive, com o uso de umidificadores, além de vitaminas para aumentar o sistema imunológico como a vitamina C.
Importante dar alimentos mais saborosos como pastinhas e saxes, nunca deixar seu gato sem comer por longos períodos, gatos que passam dias sem comer adquirem problemas hepáticos rapidamente.
Para aqueles que apresentam secreções, limpar os olhos e narinas com soro fisiológico constantemente para que não haja acúmulo e infecções secundárias.
Em locais onde haja muitos animais é importante a limpeza e higienização do ambiente, vasilhas de comida e água, caixas de areia e paninhos de dormir.
Em alguns casos o médico veterinário prescreve antibióticos juntamente as vitaminas.
Prevenção
O principal método de evitar que seu gatinho se contamine com estas doenças é a vacinação, sempre que adotar ou resgatar um gato, onde não se conheça o passado do mesmo, deve leva-lo ao veterinário para detectar a presença destes micro-organismos o quanto antes.
OBS: É IMPRESCINDÍVEL A VISITA AO MÉDICO VETERINÁRIO, NÃO MEDIQUE SEU ANIMAL SEM A ORIENTAÇÃO DE UM PROFISSIONAL.